Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

segunda-feira, 14 de março de 2011

Sophia I

Sophia, acorda com uma gosto ruim na boca, vai no banheiro e faz seu xixi, sacode a água de um lado para o outro dentro de sua boca, não puxa a descarga por preguiça, desce as escadas que rangiam ao suportar os quarenta quilos da menina magrinha. Coloca o leite no copo sem dar uma palavra com a mãe, ainda guarda ressentimentos da briga de ontem à noite, quando a mãe achou um absurdo ela chegar às três horas e trinta e três minutos, bêbada, e descabelada.Ela termina o copo de leite , e sai sem dar satisfações.

Chega em casa à meia-noite e trinta e três minutos, chorando , com um olho roxo, sem o celular e a blusa que tinha ganhado no amigo secreto do ano que se passou. Enfim fez as pazes com sua mãe, que partir daquele dia se tornou sua melhor amiga, sabia de tudo que acontecia dentro e fora da vida de Sophia. Até o dia em que ela vai morar sozinha. Passou num vestibular que tanto queria na cidade vizinha. No dia da mudança foi o maior rio de lágrimas, Sophia chorava contidamente enquanto colocava as coisas no carro, mas quando realmente chegou a hora da despedida , não havia lenço suficiente na mercearia da esquina, uma cena triste.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é autossuficiente de pensamento.