Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

segunda-feira, 21 de maio de 2012

cozido

vivo me vendo na TV
nas telas dos computadores

procurando o surreal
no berço de outros

meu teto é lar de mim
minha cama é leito de morte
todos os dias
antes de dormir

4 comentários:

  1. Não entendo poesia. Poema. Seja o que for. Realmente não entendo. Por mais que eu tente, não consigo chegar perto do significado por entre os versos. Mas de vez enquando aparecem algumas poesias (poemas, whatever) que, mesmo que eu veja apenas o véu que a cobre, encantam-me. Por exemplo, essa, esse, ess(?).

    ResponderExcluir
  2. E assim também vou sendo meio cozido, meio frito, meio cozido fritado...

    ResponderExcluir
  3. sabe o que eu mais adoro em sua poesia? os temas.
    e agora, conhecendo um pouco mais sobre ti, ela se torna ainda maior.

    e obrigada pela ajuda com meu último post, moço.

    até mais,

    ResponderExcluir
  4. Por mais que eu costume achar a maioria dos poemas um saco (e não é que eu não goste de poesia, mas eu gosto de poucos poemas), eu encontro algumas realmente boas na internet. Tem muito blogueiro que escreve pra cacete. Gostei principalmente da metáfora entre a cama e o leito de morte.

    ResponderExcluir

Ninguém é autossuficiente de pensamento.