Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Negro Amor

Em minha mão
carrego um pedaço do paraíso
são teus cabelos
escorrendo
por entre os dedos
da minha
negra
mão

Meus ouvidos
são presenteados
com tuas rosas histórias

Deitado em teu colo
esqueço-me dos problemas
Meu resquício de mente
se transforma
e ganha a forma de um mar
não o mar sujo dos humanos
um mar branco
sem nenhum risco de sonho
negro
sem nenhum poema sobre amor
negro
sem nenhuma estória
negra

sem nenhuma ponta
negra
rasgando-lhe o peito
sem nenhuma tinta
negra
para mancha-la

somente tu
tens esse
negro
poder
de me prender
fazendo-me
perder-me em tuas coxas
dentro das saias frouxas
de teus vestidos
rodados
babados
enrolados
no doce balançar
da dança do Xangô
aos batuques
negros
de atabaque

Meu amor
meu
negro
amor

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é autossuficiente de pensamento.