Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

domingo, 24 de julho de 2011

Saudade

  De onde vem a saudade?
Minha valsa sozinha
com as mãos na cintura
das gotas da chuva

  Cadê os teus cabelos?
que eu quero me esconder
sem razões pra chorar
meu coração quer te conhecer
minha saudade é melodia
que grita nas brechas
das lembranças dos teus quadris

  Cadê a saudade?
nos brilhos das estrelas
estavam as mechas
nas noites de lua
estavam os olhos
mas a saudade, cadê?

   Do que é feita a saudade?
Sob o brilho da memória
os teus lábios reluzem
e teu corpo dança
uma valsa torta
que eu compus pra ti

Sob o brilho do amor
 meus dedos balançam
gravando estes versos
 num tronco qualquer
  de uma árvore caída
de raízes seguras
nas saudades desta  valsa

3 comentários:

  1. Que sensibilidade tocante! Fiquei boquiaberto. Sou muito mais da prosa que da poesia, mas reconheço seu talento de longe. Parabéns!

    ResponderExcluir
  2. Olá :)
    Cara,adorei o texto.
    Como disse o Guilherme,bem sensivel o texto.
    Adorei os sentimentos que voce colocou sabe?

    Abraços
    Estou seguindo
    .............................
    RIMAS DO PRETO

    ResponderExcluir
  3. Sinto saudades do que eu não tive...

    ResponderExcluir

Ninguém é autossuficiente de pensamento.