Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Que flor?


Pedes o que não quero
momentos perfeitos
em certa velocidade
nas memórias são eternos
Falas, rostos e risos
gravados nos cadernos
que posso eu fazer
se estes são momentos eternos?

Teu perfume ainda está
na minha pele, teu corpo
Entre meus e teus cabelos
está pintado nosso rosto
Sentistes meu coração
e ainda o tem nas mãos
Eu te tenho somente em gosto
e na lembrança, a minha em tua mão

Este amor caminha
de pés descalços em caminho de barro
E eu ando no mesmo caminho
e com ele , casualmente, esbarro
Morena, teu riso está comigo
meu porto, relicário deste romance
Me diz que posso fazer
se são eternos estes relances?

Uma Flor só é pouco pra ti
és jardim, és floresta, mundo e és rio
porque gastas teus risos
com poemas de um homem tão frio?
És toda luz que me entra
nessas ruínas em que me perdi
meus lábios sibilando
a frase que tanto repeti

Que flor?
que flor será esta?
Me diz flor
Pois agora perdi-me em tuas pétalas


2 comentários:

Ninguém é autossuficiente de pensamento.