Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

tinta e tela

Uma vida de melancolias fracas
melancolia comprada
Melancolia falsa
de mentiras e omissos
Uma vida comprada
no mercado da esquina
As leves batidas do peito
os leves cortes
no pulso de menina
Quando a mancha de sangue
pintou a tela branca da pia
ela percebeu que tudo vem,
percebeu que tudo vai,
tudo no mesmo fluxo do sangue
Quando a tela branca da pia
ficou vermelha de sangue
Ela viu tudo que não terminou
O sangue que borrifou
o sangue que correu
ela simplesmente viu
o que há muito ninguém via
O sangue que corre
também nos faz correr
Tudo vem do sangue
tudo vai no sangue
tudo corre vermelho
Quando a tela vermelha
deixou de ser branca
ela viu o que não via
viu somente o vermelho
Quando o mundo parou de girar
ela viu o vermelho
o vermelho que estampou
que se desenhou no branco da pia
Tudo vem do sangue
tudo vai no sangue
no fluxo do sangue
Tudo desaba
quando o sangue se mostra
um pouco mais do que devia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é autossuficiente de pensamento.