Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

sábado, 24 de novembro de 2012

Areia


Que se foda minha pá.


I

Muito fria.
Dia frio.

Chegou um caminhão carregado de areia
buzinou na minha porta e me acordou.
Tirou-me do sono tolo.
Um caminhão de areia
para tapar os buracos do passado.

Nunca te entendi, sinceramente.
Sempre odiei escrever cartas pra você.
Nunca te entendi completamente.
Porque você faz assim comigo?
Esperava um mundo de ti
e você me vem com água.

II

Você é muita areia.
Areia grossa,
quase pequenas pedras.

Nunca te entendi.
Nunca contei quantos grãos.
Não tive tempo, já te destruí.
Antes um castelo, agora uma pequena duna.
Bela duna.

Você é muita areia
e eu não tenho um caminhão.
Nem pra tapar os buracos do passado.

Esperava um mundo de ti
e você não me dá nem teu endereço.

III

As mulheres me assassinam
tomam meu sangue de canudinho.
Frias e duras.
silenciosas, ferinas e cruéis.
Meu sangue descansa
nos estômagos alheios.






4 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Buracos-arrependimento
    Buracos-culpa
    Buracos-falta
    Buracos-saudade
    Buracos-dor
    Buracos-medo
    Buracos-raiva
    Andaram usando britadeira em sua estrada?
    Ou seria você o maquinista?!


    P.S.: "Ele está sabendo demais, precisamos detê-lo. Peguem-no!"

    ResponderExcluir
  3. Descobri que o certo não é maquinista e sim operador! Eu e minha mania compulsiva por revisão!

    Abraço e ótima semana...

    ResponderExcluir

Ninguém é autossuficiente de pensamento.