Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

quarta-feira, 5 de junho de 2013

Carta para os porcos e os anjos.


Esta é uma carta. Uma carta que eu não consigo escrever com lápis e papel, pois não sei os exatos destinatários. Esta carta para quem quiser ler. Eu não sei o seu endereço. Se você me conhece pessoalmente, da próxima vez que me vir, me diga que importância eu tenho pra você, me diga algo que já fiz de importante para a sua pessoa, me diga uma boa ação que você já me viu fazer. Me diga o que pensa sobre mim, o que gosta e odeia. Se você não me conhece pessoalmente, há uma aba sobre mim acima que lhe dará alguma forma de contato comigo.
Tenho me suicidado aos poucos. Não falo daqueles lances de cortar os pulsos, se asfixiar ou tomar remédios. Falo de coisas banais que me fazem mal. Tenho sido sedentário. Minha alimentação é muito ruim. Há muito sal, muito molho, muito katchup e muito açúcar. Tomar um bom copo de coca-cola me dá uma sensação de que a vida vale a pena. Sinto as paredes do meu estômago sendo corroídas. Tenho uma mania esdrúxula de comer coisas que meu organismo não vai digerir. Vi uma reportagem sobre coisas estranhas que médicos encontraram nos estômagos de pessoas ao redor do mundo e me imaginei. Nem tente imaginar as coisas que existem no meu estômago.
Se houvessem câmeras me filmando o dia todo secretamente, as pessoas se surpreenderiam com as coisas que faço quando estou sozinho. Não falo sobre masturbação ou coisas assim, pois isso já esperam de mim. 
Essa semana percebi que me adapto muito fácil a certas situações. As pessoas vivem reclamando de tudo que as cerca, mas eu apenas sigo minha vida, como se nada tivesse acontecendo. Eu tento ajudar as pessoas a resolverem seus problemas. Sempre tenho uma solução e sempre tenho uma resposta na ponta da língua, mas não sei pra onde ir quando se trata de mim mesmo. Não me compreendo, não me estudo nem tento me consertar. Apenas cuido das pessoas que fazem isso por mim. 
Você, a irmã que eu não tive. Me sinto mal quando te machucam. De todas as vezes que pensei em te beijar, foi pra te proteger de todos os demônios que queriam levar tua boca embora. Tua boca não foi feita pra beijar ou para receber membros masculinos vigorosos. Tua boca foi feita para consolar o mundo nessas madrugadas vadias. Tua boca foi feita pra cantar nos shows das 6 da tarde. Nos dias de hoje, você é uma certeza que tenho. É algo que me segura, que me retém e que me prende neste mundo oblíquo.
Macaco. Tua alegria me contagia. Tuas histórias me fascinam e teus medos me ensinam. De onde tirastes tanto de mim?
A peça que liga meu hardware. Quantas madrugadas dediquei a ti? Quantas dedicaria? És algo que tenho na mão. Tenho orgulho em ser a peça que completa parte do teu quebra-cabeças. Tenho prazer de te montar e de te bagunçar a cada conversa. 

A faculdade está bagunçando minha cabeça. Não sei o que será de mim dois anos à frente. Queria conhecer deus, pois esta força que há dentro de mim já não me sustenta como antes. Queria teu abraço, teu beijo e teu carinho, caro leitor. Queria amanhecer o dia na praia com você. Tomar um banho de mar pra sarar as feridas. Tomar no cu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é autossuficiente de pensamento.