Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

domingo, 17 de maio de 2015

codinome

como se cada palavra minha
fosse também adorno da coroa
que eu coloquei como enfeite
da tua sensatez.

dos caminhos, a terra embaixo dos pés.
das mágicas, os truques que brincam com a
realidade, ludibriam a alegria.
mentem para que a coisa pareça
interessante.

como eu minto sobre a coroa que coloquei
na tua sensatez. quando minto falando sobre sua
realeza, que na verdade, é mentira.
não há coroa. apenas um poema
sobre tua soberania sobre o mundo
e sobre o tempo:
todos submisso à sua existência.

2 comentários:

  1. Não há coroa mesmo, porque não há brincadeira de adivinhar. Entre um homem e uma mulher se dispensa enquetes. O poema é entendido, entendimento.

    ResponderExcluir

Ninguém é autossuficiente de pensamento.