Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

terça-feira, 20 de agosto de 2013

das guerras internas

I

A estrada se desfez
Não sei se foi eu ou foi você
Os caminhos já não levam ao mesmo lugar

a guerra nos destrói
os trens já partiram
mas você não estava lá
pra me dar o último adeus

a força que destrói
também pode erguer
As trilhas estão lá
só basta seguir.
Mas não sei se elas te trarão pra mim

II

Eu estava lá
dia após dia
só você não me viu.
acenei o meu adeus
tantas vezes ao longe

Você olhava o pôr do sol
Mil mulheres na estação
Havia um cão pra te consolar

Não aprendi a usar
o revolver que você me deu.
Nem pra te matar eu fui capaz.

Não tenho armas para abrir trilhas
no teu coração.
Bato a porta do teu lar.
mas você ficou surdo
com o barulho de toda a guerra.

A força que ergueu
já não pode sustentar
nenhuma matemática pode calcular
nenhuma engenharia pode planejar
nenhuma ciência pode explicar

O mundo já se ergueu
mas a oitava maravilha
esta é você quem faz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ninguém é autossuficiente de pensamento.