Páginas

Quem sou eu

Minha foto
Sou um mensageiro. E por muitas vezes sou também a mensagem.

domingo, 30 de setembro de 2012

Cão

                   à T., pela falta de comunicação da minha parte.

Há mil corpos meus
distribuídos pelo mundo
em estações de trem
terminais rodoviários
aeroportos e cais

Nenhum cão para as minhas partidas
Não há lágrimas nem cores
Eu parto para mil lugares
em assentos acochoados
lombos de animais
bancos de madeira
com meus próprios pés

Há apenas uma mulher
mas não há despedida
Há distância

Ela se veste
mas eu só vejo seu lenço
Ela se esconde
Espera também um meio
Quer fugir do mundo

 Não há despedidas
Há distâncias
Mil homens
mortos na guerra
Uma mulher que não chora
Não amava nenhum soldado

Um comentário:

Ninguém é autossuficiente de pensamento.